Configuração

Todas as configurações estão armazenadas em settings.py (como é habitual no Django).

Nota

Após alterar qualquer uma dessas configurações, você precisa reiniciar o Weblate - tanto os processos WSGI quanto os Celery.

Caso seja executado como mod_wsgi:, você precisa reiniciar o Apache para recarregar a configuração.

Ver também

Verifique também a documentação do Django para parâmetros de configuração do próprio Django.

AKISMET_API_KEY

O Weblate pode usar o Akismet para verificar sugestões recebidas anonimamente para spam. Visite akismet.com para comprar uma chave API e associá-la a um site.

ANONYMOUS_USER_NAME

O nome de usuário dos usuários não autenticados.

Ver também

Controle de acesso

AUDITLOG_EXPIRY

Novo na versão 3.6.

Quantos dias o Weblate deve manter registros de auditoria, que contêm informações sobre a atividade da conta.

O padrão é 180 dias.

AUTH_LOCK_ATTEMPTS

Novo na versão 2.14.

Número máximo de tentativas de autenticação com falha antes da aplicação da limitação de taxa.

Atualmente, isso é aplicado nos seguintes locais:

  • Logins. Exclui a senha da conta, impedindo que o usuário entre sem solicitar uma nova senha.

  • Redefinições de senha. Impede que novos e-mails sejam enviados, evitando o envio de spam aos usuários com muitas tentativas de redefinição de senha.

O padrão é 10.

Ver também

Limitação de taxa,

AUTO_UPDATE

Novo na versão 3.2.

Alterado na versão 3.11: A opção original de ligar/desligar foi alterada para diferenciar quais textos são aceitos.

Atualiza todos repositórios diariamente.

Dica

Útil se você não estiver usando Ganchos de notificação para atualizar automaticamente os repositórios do Weblate.

Nota

Existem opções de ligar/desligar, além da seleção de textos para compatibilidade com versões anteriores.

As opções são:

"none"

Sem atualizações diárias.

"remote" e também False

Atualiza apenas os repositórios remotos.

"full" e também True

Atualiza os repositórios remotos e mescla os cópia de trabalho.

Nota

Isso requer que Tarefas de fundo usando Celery esteja funcionando e entrará em vigor após ser reiniciado.

AVATAR_URL_PREFIX

Prefixo para construção de URLs de avatars: ${AVATAR_URL_PREFIX}/avatar/${MAIL_HASH}?${PARAMS}. Os seguintes serviços funcionam:

Gravatar (padrão), conforme https://gravatar.com/

AVATAR_URL_PREFIX = 'https://www.gravatar.com/'

Libravatar, conforme https://www.libravatar.org/

AVATAR_URL_PREFIX = 'https://www.libravatar.org/'

AUTH_TOKEN_VALID

Novo na versão 2.14.

Por quanto tempo o token de autenticação e a senha temporária dos e-mails de redefinição de senha são válidos. Definido em número de segundos, usando como padrão 172800 (2 dias).

AUTH_PASSWORD_DAYS

Novo na versão 2.15.

Quantos dias usando a mesma senha deve ser permitido.

Nota

Mudanças de senha feitas anteriormente ao Weblate 2.15 não serão consideradas para essa política.

O padrão é 180 dias.

AUTOFIX_LIST

Lista de correções automáticas para aplicar ao salvar um texto.

Nota

Forneça um caminho totalmente qualificado para a classe Python que implementa a interface de correção automática.

Correções disponíveis:

weblate.trans.autofixes.whitespace.SameBookendingWhitespace

corresponde o espaço em branco no início e no fim do texto com a fonte.

weblate.trans.autofixes.chars.ReplaceTrailingDotsWithEllipsis

Substitui pontos ao final (…) se o texto fonte tiver um caractere de reticências (…) correspondente.

weblate.trans.autofixes.chars.RemoveZeroSpace

Remove caracteres de espaço de largura zero se a fonte não contiver nenhum.

weblate.trans.autofixes.chars.RemoveControlChars

Remove caracteres de controle se a fonte não contiver nenhum.

weblate.trans.autofixes.html.BleachHTML

Remove a marcação HTML insegura dos textos sinalizados como safe-html (veja HTML inseguro).

Você pode selecionar quais usar:

AUTOFIX_LIST = (
    "weblate.trans.autofixes.whitespace.SameBookendingWhitespace",
    "weblate.trans.autofixes.chars.ReplaceTrailingDotsWithEllipsis",
)

BACKGROUND_TASKS

Novo na versão 4.5.2.

Define com que frequência as tarefas de manutenção demoradas devem ser acionadas para um componente.

No momento, isso controla:

Escolhas possíveis:

  • monthly (este é o padrão)

  • weekly

  • daily

  • never

Nota

O aumento da frequência não é recomendado quando o Weblate contém milhares de componentes.

BASE_DIR

Diretório base onde as fontes do Weblate estão localizadas. Usado para derivar vários outros caminhos por padrão:

Valor padrão: Diretório de nível superior de fontes do Weblate.

BASIC_LANGUAGES

Novo na versão 4.4.

Lista de idiomas para oferecer aos usuários para iniciar uma nova tradução. Quando não especificado, a lista embutida é usada, o que inclui todos os idiomas comumente usados, mas sem variantes específicas de país.

Isso só limita usuários não privilegiados a adicionar idiomas indesejados. Os administradores do projeto ainda são apresentados com seleção completa de idiomas definidos no Weblate.

Nota

Isso não define novos idiomas para Weblate, ele filtra apenas os existentes no banco de dados.

Exemplo:

BASIC_LANGUAGES = {"cs", "it", "ja", "en"}

CSP_SCRIPT_SRC, CSP_IMG_SRC, CSP_CONNECT_SRC, CSP_STYLE_SRC, CSP_FONT_SRC

Personaliza o cabeçalho Content-Security-Policy para Weblate. O cabeçalho é gerado automaticamente com base em integrações habilitadas com serviços de terceiros (Matomo, Google Analytics, Sentry, …).

Todos esses tem como padrão uma lista vazia.

Exemplo:

# Enable Cloudflare Javascript optimizations
CSP_SCRIPT_SRC = ["ajax.cloudflare.com"]

CHECK_LIST

Lista de verificações de qualidade para realizar em uma tradução.

Nota

Forneça um caminho totalmente qualificado para a classe Python implementando a interface de verificação.

Ajuste a lista de verificações para incluir as relevantes para você.

Todas as Verificações de qualidade embutidas estão ativadas por padrão, de onde você pode alterar essas configurações. Por padrão, eles são comentados em Amostra de configuração para que os valores padrão sejam usados. Novas verificações então realizadas para cada nova versão do Weblate.

Você pode desativar todas as verificações:

CHECK_LIST = ()

Você pode ativar apenas algumas:

CHECK_LIST = (
    "weblate.checks.chars.BeginNewlineCheck",
    "weblate.checks.chars.EndNewlineCheck",
    "weblate.checks.chars.MaxLengthCheck",
)

Nota

Alterar esta configuração afeta apenas as traduções recém-alteradas, as verificações existentes ainda serão armazenadas no banco de dados. Para também aplicar alterações nas traduções armazenadas, execute updatechecks.

COMMENT_CLEANUP_DAYS

Novo na versão 3.6.

Exclui comentários após um determinado número de dias. O padrão é None, ou seja, nenhuma exclusão.

COMMIT_PENDING_HOURS

Novo na versão 2.10.

Número de horas entre fazer o commit de alterações pendentes por meio da tarefa de segundo plano.

CONTACT_FORM

Novo na versão 4.6.

Configura como o e-mail do formulário de contato está sendo enviado. Escolha uma configuração que corresponda à configuração do seu servidor de e-mail.

"reply-to"

O remetente é usado como Reply-To, este é o comportamento padrão.

"from"

O remetente é usado como From. Seu servidor de e-mail precisa permitir o envio de tais e-mails.

DATA_DIR

A pasta na qual Weblate armazena todos os dados. Ela contém links para repositórios VCS, um índice de texto e vários arquivos de configuração para ferramentas externas.

Os seguintes subdiretórios geralmente existem:

home

Diretório pessoal usado para invocar scripts.

ssh

Chaves e configuração de SSH.

static

Local padrão para arquivos Django estáticos, especificados por STATIC_ROOT. Veja Servindo arquivos estáticos.

O contêiner do Docker usa um volume separado para isso, veja Volumes de contêiner Docker.

media

Local padrão para arquivos de mídia Django, especificado por MEDIA_ROOT. Contém capturas de tela enviadas, veja Contexto visual para textos.

vcs

Repositórios de controle de versão para traduções.

backups

Dados de backup diário. Confira Dados despejados para os backups para detalhes.

celery

Dados do agendador Celery, consulte Tarefas de fundo usando Celery.

fonts:

Fontes enviadas pelo usuário, veja Gerenciando fontes.

Nota

Este diretório tem que ser escrito pelo Weblate. Executá-lo como uWSGI significa que o usuário www-data deve ter acesso de escrita.

A maneira mais fácil de conseguir isso é fazer do usuário o proprietário do diretório:

sudo chown www-data:www-data -R $DATA_DIR

O padrão é $BASE_DIR/data.

DATABASE_BACKUP

Novo na versão 3.1.

Se os backups de banco de dados devem ser armazenados como texto simples, compactado ou ignorado. Os valores autorizados são:

  • "plain"

  • "compressed"

  • "none"

DEFAULT_ACCESS_CONTROL

Novo na versão 3.3.

A configuração padrão de controle de acesso para novos projetos:

0

Público

1

Protegido

100

Privado

200

Personalizado

Use Personalizado se você está gerenciando a ACL manualmente, o que significa não confiar no gerenciamento interno do Weblate.

DEFAULT_AUTO_WATCH

Novo na versão 4.5.

Configura se Observar automaticamente projetos em contribuição deve ser ativado para novos usuários. O padrão é True.

Ver também

Notificações

DEFAULT_RESTRICTED_COMPONENT

Novo na versão 4.1.

O valor padrão para restrição de componentes.

DEFAULT_ADD_MESSAGE, DEFAULT_ADDON_MESSAGE, DEFAULT_COMMIT_MESSAGE, DEFAULT_DELETE_MESSAGE, DEFAULT_MERGE_MESSAGE

Enviar mensagens padrão para diferentes operações, consulte Configuração de componente para detalhes.

DEFAULT_ADDONS

Extensões padrão para instalar em cada componente criado.

Nota

Essa configuração afeta apenas componentes recém-criados.

Exemplo:

DEFAULT_ADDONS = {
    # Add-on with no parameters
    "weblate.flags.target_edit": {},
    # Add-on with parameters
    "weblate.autotranslate.autotranslate": {
        "mode": "suggest",
        "filter_type": "todo",
        "auto_source": "mt",
        "component": "",
        "engines": ["weblate-translation-memory"],
        "threshold": "80",
    },
}

DEFAULT_COMMITER_EMAIL

Novo na versão 2.4.

Endereço de e-mail do committer com o padrão noreply@weblate.org.

Ver também

DEFAULT_COMMITER_NAME

DEFAULT_COMMITER_NAME

Novo na versão 2.4.

Nome do committer com o padrão Weblate.

DEFAULT_LANGUAGE

Novo na versão 4.3.2.

Idioma fonte padrão para usar, por exemplo, em Idioma fonte.

O padrão é en. O objeto de idioma correspondente precisa existir no banco de dados.

DEFAULT_MERGE_STYLE

Novo na versão 3.4.

Mescla o estilo para quaisquer novos componentes.

  • rebase - padrão

  • merge

DEFAULT_SHARED_TM

Novo na versão 3.2.

Configura o valor padrão de Usar memória de tradução compartilhada e project-contrib_shared_tm.

DEFAULT_TRANSLATION_PROPAGATION

Novo na versão 2.5.

Configuração padrão para propagação de tradução, sendo o padrão True.

DEFAULT_PULL_MESSAGE

Título para novas pull requests, sendo o padrão 'Update from Weblate'.

ENABLE_AVATARS

Se deve-se ativar avatares baseados em Gravatar para os usuários. Por padrão, isto está ativado.

Avatares são buscados e armazenados em cache no servidor, diminuindo o risco de vazamento de informações privadas, acelerando a experiência do usuário.

ENABLE_HOOKS

Se deve-se habilitar ganchos remotos anônimos.

ENABLE_HTTPS

Se deve-se enviar links para Weblate como HTTPS ou HTTP. Esta configuração afeta os e-mails enviados e as URLs absolutas geradas.

Na configuração padrão, este também é usado para várias configurações de Django relacionadas ao HTTPS - ele habilita cookies seguros, ativa/desativa HSTSou habilita redirecionamento para URL HTTPS.

O redirecionamento HTTPS pode ser problemático em alguns casos e você pode ter problemas com o redirecionamento infinito no caso de estar usando um proxy reverso fazendo o encerramento SSL que não passa corretamente os cabeçalhos de protocolo para o Django. Ajuste sua configuração de proxy reverso para emitir cabeçalhos X-Forwarded-Proto ou Forwarded, ou configure SECURE_PROXY_SSL_HEADER para permitir que o Django detecte corretamente o status SSL.

ENABLE_SHARING

Ativa/desativa o menu Compartilhar para que os usuários possam compartilhar o progresso da tradução nas redes sociais.

GET_HELP_URL

Novo na versão 4.5.2.

URL onde o suporte para sua instância do Weblate pode ser encontrado.

GITLAB_CREDENTIALS

Novo na versão 4.3.

Lista para credenciais para servidores GitLab.

Dica

Use isso no caso de você querer que o Weblate interaja com mais deles, para um único ponto final do GitLab com GITLAB_USERNAME e GITLAB_TOKEN.

GITLAB_CREDENTIALS = {
    "gitlab.com": {
        "username": "weblate",
        "token": "your-api-token",
    },
    "gitlab.example.com": {
        "username": "weblate",
        "token": "another-api-token",
    },
}

GITLAB_USERNAME

O nome de usuário GitLab usado para enviar merge requests para atualizações de tradução.

Ver também

GITLAB_CREDENTIALS, GitLab

GITLAB_TOKEN

Novo na versão 4.3.

O token de acesso pessoal GitLab usado para fazer chamadas de API para atualizações de tradução.

GITHUB_CREDENTIALS

Novo na versão 4.3.

Lista para credenciais para servidores GitHub.

Dica

Use isso no caso de você querer que o Weblate interaja com mais deles, para um único ponto final do GitHub com GITHUB_USERNAME e GITHUB_TOKEN.

GITHUB_CREDENTIALS = {
    "api.github.com": {
        "username": "weblate",
        "token": "your-api-token",
    },
    "github.example.com": {
        "username": "weblate",
        "token": "another-api-token",
    },
}

GITHUB_USERNAME

O nome de usuário GitHub usado para enviar pull request para atualizações de tradução.

Ver também

GITHUB_CREDENTIALS, GitHub

GITHUB_TOKEN

Novo na versão 4.3.

O token de acesso pessoal GitHub usado para fazer chamadas de API para enviar pull requests para atualizações de tradução.

GOOGLE_ANALYTICS_ID

Google Analytics ID para ativar o monitoramento do Weblate usando o Google Analytics.

HIDE_REPO_CREDENTIALS

Oculta credenciais de repositório da interface web. No caso de você ter URL do repositório com usuário e senha, o Weblate irá ocultá-la quando as informações relacionadas são mostradas aos usuários.

Por exemplo, em vez de https://usuário:senha@git.example.com/repo.git, ela vai mostrar apenas ‘’https://git.example.com/repo.git’’’. Ela tenta limpar mensagens de erro VCS também de forma semelhante.

Nota

Isso está ativado por padrão.

HIDE_VERSION

Novo na versão 4.3.1.

Esconde informação de versão de usuários não autenticados. Isso também faz todos os links de documentação apontar para a última versão, ao invés da versão de combinação da documentação instalada atualmente.

Ocultar versão é uma prática de segurança recomendada em algumas empresas, mas não prevê invasores de descobri a versão sondando o comportamento.

Nota

Isso está desligado por padrão.

IP_BEHIND_REVERSE_PROXY

Novo na versão 2.14.

Indica se o Weblate está sendo usado atrás de um proxy reverso.

Se definido como True, o Weblate obtém endereço IP de um cabeçalho definido por IP_PROXY_HEADER.

Aviso

Certifique-se de que você está realmente usando um proxy reverso e que ele define este cabeçalho, caso contrário, os usuários poderão falsificar o endereço IP.

Nota

Isso não está ativado por padrão.

IP_PROXY_HEADER

Novo na versão 2.14.

Indica de qual cabeçalho o Weblate deve obter o endereço IP quando IP_BEHIND_REVERSE_PROXY está ativado.

Padrão é HTTP_X_FORWARDED_FOR.

IP_PROXY_OFFSET

Novo na versão 2.14.

Indica qual parte de IP_PROXY_HEADER é usada como endereço IP do cliente.

Dependendo da configuração, este cabeçalho pode consistir em vários endereços IP (por exemplo, X-Forwarded-For: a, b, client-ip) e você pode configurar qual endereço do cabeçalho é usado como endereço IP do cliente aqui.

Aviso

Configurar isso afeta a segurança da sua instalação, então você só deve configurá-la para usar proxies confiáveis para determinar o endereço IP.

O padrão é 0.

LICENSE_EXTRA

Licenças adicionais para incluir nas opções de licença.

Nota

Cada definição de licença deve ser uma tupla de seu nome curto, um nome longo e uma URL.

Por exemplo:

LICENSE_EXTRA = [
    (
        "AGPL-3.0",
        "GNU Affero General Public License v3.0",
        "https://www.gnu.org/licenses/agpl-3.0-standalone.html",
    ),
]

LICENSE_FILTER

Alterado na versão 4.3: Configurando este para valor em branco agora desabilita o alerta de licença.

Filtrar licenças da lista para mostrar. Isto também desabilita o alerta de licença quando configurado para vazio.

Nota

Este filtro usa os nomes de licença curtos.

Por exemplo:

LICENSE_FILTER = {"AGPL-3.0", "GPL-3.0-or-later"}

A seguir, desativa o alerta de licença:

LICENSE_FILTER = set()

LICENSE_REQUIRED

Define se o atributo de licença em Configuração de componente é necessário.

Nota

Isso está desativado por padrão.

LIMIT_TRANSLATION_LENGTH_BY_SOURCE_LENGTH

Se o comprimento de uma determinada tradução deve ser limitado. A restrição é o comprimento do texto fonte * 10 caracteres.

Dica

Defina isso como False para permitir traduções mais longas (até 10.000 caracteres) independentemente do comprimento do texto fonte.

Nota

O padrão é True.

LOCALIZE_CDN_URL e LOCALIZE_CDN_PATH

Essas configurações definem a extensão CDN de localização do JavaScript. LOCALIZE_CDN_URL define a URL raiz onde o CDN de localização está disponível e LOCALIZE_CDN_PATH define o caminho onde o Weblate deve armazenar arquivos gerados que serão servidos em LOCALIZE_CDN_URL.

Dica

No Hosted Weblate, é usada com https://weblate-cdn.com/.

LOGIN_REQUIRED_URLS

Uma lista de URLs para as quais você deseja exigir autenticação. (Além das regras padrão incorporadas ao Weblate).

Dica

Isso permite que você proteja com senha toda uma instalação usando:

LOGIN_REQUIRED_URLS = (r"/(.*)$",)
REST_FRAMEWORK["DEFAULT_PERMISSION_CLASSES"] = [
    "rest_framework.permissions.IsAuthenticated"
]

Dica

É desejável bloquear o acesso à API também, como mostrado no exemplo acima.

Ver também

REQUIRE_LOGIN

LOGIN_REQUIRED_URLS_EXCEPTIONS

Lista de exceções para LOGIN_REQUIRED_URLS. Se não especificado, os usuários podem acessar a página de autenticação.

Algumas das exceções que você pode querer incluir:

LOGIN_REQUIRED_URLS_EXCEPTIONS = (
    r"/accounts/(.*)$",  # Required for sign in
    r"/static/(.*)$",  # Required for development mode
    r"/widgets/(.*)$",  # Allowing public access to widgets
    r"/data/(.*)$",  # Allowing public access to data exports
    r"/hooks/(.*)$",  # Allowing public access to notification hooks
    r"/api/(.*)$",  # Allowing access to API
    r"/js/i18n/$",  # JavaScript localization
)

MATOMO_SITE_ID

ID de um site em Matomo (anteriormente Piwik) que você quer rastrear.

Nota

Essa integração não tem suporte ao Matomo Tag Manager.

Ver também

MATOMO_URL

MATOMO_URL

URL completa (incluindo barra ao final) de uma instalação Matomo (anteriormente Piwik) que você deseja usar para rastrear o uso do Weblate. Por favor, consulte <https://matomo.org/> para mais detalhes.

Dica

Essa integração não tem suporte ao Matomo Tag Manager.

Por exemplo:

MATOMO_SITE_ID = 1
MATOMO_URL = "https://example.matomo.cloud/"

Ver também

MATOMO_SITE_ID

MT_SERVICES

Alterado na versão 3.0: A configuração foi renomeada de MACHINE_TRANSLATION_SERVICES para MT_SERVICES para ser consistente com outras configurações de tradução de máquina.

Lista de serviços de tradução de máquina habilitados para uso.

Nota

Muitos dos serviços precisam de configuração adicional, como chaves de API, consulte sua documentação Tradução de máquina para mais detalhes.

Dica

Ao usar contêiner do Docker, esta configuração é gerada automaticamente com base nas chaves de API fornecidas, veja Configurações de tradução automática.

MT_SERVICES = (
    "weblate.machinery.apertium.ApertiumAPYTranslation",
    "weblate.machinery.deepl.DeepLTranslation",
    "weblate.machinery.glosbe.GlosbeTranslation",
    "weblate.machinery.google.GoogleTranslation",
    "weblate.machinery.libretranslate.LibreTranslateTranslation",
    "weblate.machinery.microsoft.MicrosoftCognitiveTranslation",
    "weblate.machinery.microsoftterminology.MicrosoftTerminologyService",
    "weblate.machinery.mymemory.MyMemoryTranslation",
    "weblate.machinery.tmserver.AmagamaTranslation",
    "weblate.machinery.tmserver.TMServerTranslation",
    "weblate.machinery.yandex.YandexTranslation",
    "weblate.machinery.weblatetm.WeblateTranslation",
    "weblate.machinery.saptranslationhub.SAPTranslationHub",
    "weblate.memory.machine.WeblateMemory",
)

MT_APERTIUM_APY

URL do servidor Apertium-APy, https://wiki.apertium.org/wiki/Apertium-apy

MT_AWS_ACCESS_KEY_ID

ID da chave de acesso para Amazon Translate.

MT_AWS_SECRET_ACCESS_KEY

Chave secreta da API para o Amazon Translate.

MT_AWS_REGION

Nome da região para usar no Amazon Translate.

MT_BAIDU_ID

ID do cliente para a API do Baidu Zhiyun, você pode se registrar em https://api.fanyi.baidu.com/api/trans/product/index

MT_BAIDU_SECRET

Segredo do cliente para a API do Baidu Zhiyun, você pode se registrar em https://api.fanyi.baidu.com/api/trans/product/index

MT_DEEPL_API_URL

Alterado na versão 4.7: A URL completa da API agora está configurada para permitir o uso do plano gratuito. Antes, só era possível configurar a versão da API usando MT_DEEPL_API_VERSION.

A URL da API para usar com o serviço DeepL. No momento em que este artigo foi escrito, existe a API v1, bem como uma versão gratuita e uma versão paga da API v2.

https://api.deepl.com/v2/ (padrão no Weblate)

Destina-se ao uso da API no plano pago e a assinatura é baseada em uso.

https://api-free.deepl.com/v2/

Destina-se ao uso da API no plano gratuito e a assinatura é baseada em uso.

https://api.deepl.com/v1/

Destina-se a ferramentas CAT e é utilizável com assinatura por usuário.

Anteriormente, o Weblate era classificado como uma ferramenta CAT pelo DeepL, por isso deveria usar a API v1, mas agora é entendido que deve usar a API v2. Portanto, seu padrão é v2, e você pode alterar isso para v1 no caso de você ter uma assinatura CAT existente e querer que o Weblate use isso.

A maneira mais fácil de descobrir qual usar é abrir uma URL como a seguinte em seu navegador:

https://api.deepl.com/v2/translate?text=Hello&target_lang=FR&auth_key=XXX

Substitua o XXX pela sua auth_key. Se receber um objeto JSON que contém “Bonjour”, você tem a URL correta; se não, tente os outros três.

MT_DEEPL_KEY

Chave de API para a API do DeepL, você pode se registrar em https://www.deepl.com/pro.html

MT_LIBRETRANSLATE_API_URL

Novo na versão 4.7.1.

URL de API para a instância de LibreTranslate para usar.

https://libretranslate.com/ (instância pública oficial)

Requer uma chave de API para usar fora do website.

Os espelhos estão documentados no repositório do GitHub do LibreTranslate, alguns dos quais podem ser usados sem autenticação:

https://github.com/LibreTranslate/LibreTranslate#user-content-mirrors

MT_LIBRETRANSLATE_KEY

Novo na versão 4.7.1.

Chave de API para a instância LibreTranslate especificada em MT_LIBRETRANSLATE_API_URL.

MT_GOOGLE_KEY

Chave de API para a API v2 do Google Tradutor, você pode se registrar em https://cloud.google.com/translate/docs

MT_GOOGLE_CREDENTIALS

Arquivo de credenciais da API v3 do JSON obtido no console de nuvem do Google. Por favor, forneça um caminho completo do sistema operacional. As credenciais são por conta de serviço afiliada a determinado projeto. Por favor, verifique https://cloud.google.com/docs/authentication/getting-started para mais detalhes.

MT_GOOGLE_PROJECT

ID de projeto da API v3 do Google Cloud com serviço de tradução ativado e cobrança ativado. Por favor, consulte https://cloud.google.com/appengine/docs/standard/nodejs/building-app/creating-project para mais detalhes

MT_GOOGLE_LOCATION

A API v3 do App Engine do Google Cloud pode ser específica para um local. Altere conforme o caso, se o padrão global não servir para você.

Consulte https://cloud.google.com/appengine/docs/locations para mais detalhes

MT_MICROSOFT_BASE_URL

Domínio de URL base da região conforme definido na seção “URLs base”.

O padrão é api.cognitive.microsofttranslator.com para o Azure Global.

Para Azure China, use api.translator.azure.cn.

MT_MICROSOFT_COGNITIVE_KEY

Chave do cliente para a API do Microsoft Cognitive Services Translator.

MT_MICROSOFT_REGION

Prefixo da região conforme definido na seção “Authenticating with a Multi-service resource” <https://docs.microsoft.com/en-us/azure/cognitive-services/translator/reference/v3-0-reference#authenticating-with-a-multi-service-resource>.

MT_MICROSOFT_ENDPOINT_URL

Domínio de URL de extremidade da região para token de acesso definido na seção “Autenticando com um token de acesso”.

O padrão é api.cognitive.microsoft.com para Azure Global.

Para Azure China, use sua extremidade do Portal do Azure.

MT_MODERNMT_KEY

Chave de API para o mecanismo de tradução de máquina ModernMT.

MT_MODERNMT_URL

URL de ModernMT. Seu padrão é https://api.modernmt.com/ para o serviço de nuvem.

MT_MYMEMORY_EMAIL

Endereço de e-mail de identificação do myMemory. Permite 1000 solicitações por dia.

MT_MYMEMORY_KEY

Chave de acesso do MyMemory para memória de tradução privada. Use-a com MT_MYMEMORY_USER.

MT_MYMEMORY_USER

ID de usuário do MyMemory para memória de tradução privada. Use-o com MT_MYMEMORY_KEY.

MT_NETEASE_KEY

Chave de aplicativo para API da NetEase Sight, você pode se registrar em https://sight.youdao.com/

MT_NETEASE_SECRET

Segredo de aplicativo para a API da NetEase Sight, você pode se registrar em https://sight.youdao.com/

MT_TMSERVER

URL onde o tmserver está funcionando.

MT_YANDEX_KEY

Chave de API para a API do Yandex Translate, você pode se registrar em https://yandex.com/dev/translate/

MT_YOUDAO_ID

ID do cliente para a API do Youdao Zhiyun, você pode se registrar em https://ai.youdao.com/product-fanyi-text.s.

MT_YOUDAO_SECRET

Segredo do cliente para a API do Youdao Zhiyun, você pode se registrar em https://ai.youdao.com/product-fanyi-text.s.

MT_SAP_BASE_URL

URL de API para o serviço SAP Translation Hub.

MT_SAP_SANDBOX_APIKEY

Chave de API para uso de API em caixa de proteção

MT_SAP_USERNAME

Seu nome de usuário SAP

MT_SAP_PASSWORD

Sua senha SAP

MT_SAP_USE_MT

Se deve também usar serviços de tradução de máquina, além do banco de dados de termos. Possíveis valores: True ou False

NEARBY_MESSAGES

Quantos textos devem ser mostrados em torno do texto traduzido atualmente. Este é apenas um valor padrão, os usuários podem ajustar isso em Perfil do usuário.

DEFAULT_PAGE_LIMIT

Novo na versão 4.7.

Número padrão de elementos a serem exibidos quando a paginação está ativa.

PAGURE_CREDENTIALS

Novo na versão 4.3.2.

Lista para credenciais para servidores Pagure.

Dica

Use isso no caso de você querer que o Weblate interaja com mais deles, para um único ponto final do Pagure com PAGURE_USERNAME e PAGURE_TOKEN.

PAGURE_CREDENTIALS = {
    "pagure.io": {
        "username": "weblate",
        "token": "your-api-token",
    },
    "pagure.example.com": {
        "username": "weblate",
        "token": "another-api-token",
    },
}

PAGURE_USERNAME

Novo na versão 4.3.2.

O nome de usuário Pagure usado para enviar merge requests para atualizações de tradução.

Ver também

PAGURE_CREDENTIALS, Pagure

PAGURE_TOKEN

Novo na versão 4.3.2.

O token de acesso pessoal Pagure usado para fazer chamadas de API para atualizações de tradução.

PRIVACY_URL

Novo na versão 4.8.1.

URL onde sua instância de Weblate mostra sua política de privacidade.

Dica

Útil se você hospeda seus documentos legais fora do Weblate para incorporá-los ao Weblate, verifique Legal para obter detalhes.

Exemplo:

PRIVACY_URL = "https://weblate.org/terms/"

Ver também

LEGAL_URL

RATELIMIT_ATTEMPTS

Novo na versão 3.2.

O número máximo de tentativas de autenticação antes da limitação da taxa ser aplicada.

O padrão é 5.

RATELIMIT_WINDOW

Novo na versão 3.2.

Por quanto tempo a autenticação é aceita após a limitação da taxa ser aplicada.

Uma quantidade de segundos tendo como padrão 300 (5 minutos).

RATELIMIT_LOCKOUT

Novo na versão 3.2.

Por quanto tempo a autenticação é bloqueada após a limitação da taxa ser aplicada.

Uma quantidade de segundos tendo como padrão 600 (10 minutos).

REGISTRATION_ALLOW_BACKENDS

Novo na versão 4.1.

A lista de backends de autenticação de onde permite o registro. Isso só limita novos registros, os usuários ainda podem autenticar e adicionar autenticação usando todos os backends de autenticação configurados.

É recomendado para manter REGISTRATION_OPEN habilitado enquanto limita os backends de registro, caso contrário, os usuários poderão se registrar, mas o Weblate não mostrará links para se registrar na interface do usuário.

Exemplo:

REGISTRATION_ALLOW_BACKENDS = ["azuread-oauth2", "azuread-tenant-oauth2"]

Dica

Os nomes de backend correspondem aos nomes usados na URL para autenticação.

REGISTRATION_CAPTCHA

Um valor de True ou False indicando se o registro de novas contas é protegido pelo CAPTCHA. Esta configuração é opcional, e um padrão de True será presumido se não for fornecido.

Se ativado, um CAPTCHA é adicionado a todas as páginas onde um usuário digita seu endereço de e-mail:

  • Registro de nova conta.

  • Recuperação de senha.

  • Adição de e-mail a uma conta.

  • Formulário de contato para usuários que não estão autenticados.

REGISTRATION_EMAIL_MATCH

Novo na versão 2.17.

Permite filtrar quais endereços de e-mail podem ser registrados.

O padrão e .*, que permite que qualquer endereço de e-mail seja registrado.

Você pode usá-lo para restringir o registro a um único domínio de e-mail:

REGISTRATION_EMAIL_MATCH = r"^.*@weblate\.org$"

REGISTRATION_OPEN

Se o registro de novas contas é atualmente permitido. Essa configuração opcional pode permanecer com o padrão True, ou pode ser alterada para Falsa.

Essa configuração afeta a autenticação embutida por endereço de e-mail ou através do Python Social Auth (você pode adicionar à lista de permissão certos back-ends usando REGISTRATION_ALLOW_BACKENDS).

Nota

Se estiver usando métodos de autenticação de terceiros, como Autenticação por LDAP, ele apenas oculta o formulário de registro, mas novos usuários ainda conseguem se autenticar e criar contas.

REPOSITORY_ALERT_THRESHOLD

Novo na versão 4.0.2.

Limiar para acionar um alerta para repositórios desatualizados ou aqueles que contenham muitas alterações. O padrão é 25.

REQUER_LOGIN

Novo na versão 4.1.

Isso habilita :configuração`URLS_DE_LOGIN_NECESSÁRIOS` e configura o framework REST a requisitar autenticação para todos os pontos finais da API.

Nota

Isto é implementado no Amostra de configuração. Para Docker, use WEBLATE_REQUIRE_LOGIN.

SENTRY_DSN

Novo na versão 3.9.

DSN do Sentry para usar para Coletando relatórios de erros.

SIMPLIFY_LANGUAGES

Usa códigos de idioma simples para combinações padrão de idioma/país. Por exemplo, uma tradução de fr_FR usará o código de idioma fr. Este é geralmente o comportamento desejado, pois simplifica a lista de idiomas para essas combinações padrão.

Desative isso se quiser traduções diferentes para cada variante.

SITE_DOMAIN

Configura o domínio do site. Isso é necessário para produzir links absolutos corretos em muitos escopos (por exemplo, ativação de e-mails, notificações ou feeds RSS).

No caso de o Weblate estar sendo executado em um porte fora do padrão, inclua-a aqui também.

Exemplos:

# Production site with domain name
SITE_DOMAIN = "weblate.example.com"

# Local development with IP address and port
SITE_DOMAIN = "127.0.0.1:8000"

Nota

Esta configuração deve conter apenas o nome de domínio. Para configurar o protocolo (habilitar e aplicar HTTPS), use ENABLE_HTTPS e for alterar URL, use URL_PREFIX.

Dica

Em um contêiner Docker, o domínio do site é configurado através de WEBLATE_ALLOWED_HOSTS.

SITE_TITLE

Título do site a ser usado para o site e e-mails enviados.

SPECIAL_CHARS

Caracteres adicionais para incluir no teclado visual, Teclado visual.

O valor padrão é:

SPECIAL_CHARS = ("\t", "\n", "\u00a0", "…")

SINGLE_PROJECT

Novo na versão 3.8.

Redireciona os usuários diretamente para um projeto ou componente em vez de mostrar o painel. Você pode configurá-lo como True e, neste caso, ele só funciona no caso de haver realmente apenas um único projeto no Weblate. Alternativamente, defina o projeto, e ele redirecionará incondicionalmente para este projeto.

Alterado na versão 3.11: A configuração agora também aceita um slug de projeto, para forçar a exibição desse único projeto.

Exemplo:

SINGLE_PROJECT = "test"

STATUS_URL

A URL onde sua instância de Weblate relata seu status.

SUGGESTION_CLEANUP_DAYS

Novo na versão 3.2.1.

Exclui automaticamente sugestões após um determinado número de dias. O padrão é None, ou seja, sem exclusões.

UPDATE_LANGUAGES

Novo na versão 4.3.2.

Controla se o banco de dados de idiomas deve ser atualizado ao executar a migração do banco de dados e está ativado por padrão. Esta configuração não tem efeito na invocação de setuplang.

URL_PREFIX

Esta configuração permite que você execute Weblate em algum caminho (caso contrário, ele depende de ser executado a partir da raiz do servidor web).

Nota

Para usar esta configuração, você também precisa configurar seu servidor para remover este prefixo. Por exemplo, com o WSGI, isso pode ser alcançado definindo WSGIScriptAlias.

Dica

O prefixo deve iniciar com um /.

Exemplo:

URL_PREFIX = "/translations"

Nota

Esta configuração não funciona com o servidor embutido do Django, você teria que ajustar urls.py para conter este prefixo.

VCS_BACKENDS

Configuração de backends VCS disponíveis.

Nota

Weblate tenta usar todos os back-ends suportados para os seus usuários.

Dica

Você pode limitar escolhas ou adicionar back-ends VCS personalizados usando isso.

VCS_BACKENDS = ("weblate.vcs.git.GitRepository",)

VCS_CLONE_DEPTH

Novo na versão 3.10.2.

Configura o quão profunda a clonagem de repositórios Weblate deve ir.

Nota

Atualmente, isso só é suportado em Git. Por padrão, o Weblate faz clones rasos dos repositórios para tornar a clonagem mais rápida e economizar espaço em disco. Dependendo do seu uso (por exemplo, ao usar o personalizado Extensões), você pode querer aumentar a profundidade ou desligar os clones rasos completamente definindo isso para 0.

Dica

No caso de você receber erro fatal: protocol error: expected old/new/ref, got 'shallow <hash de commit>' ao fazer push do Weblate, desative clones rasos completamente configurando:

VCS_CLONE_DEPTH = 0

WEBLATE_ADDONS

Lista de extensões disponíveis para uso. Para usá-las, elas devem ser habilitadas para um determinado componente de tradução. Por padrão, isso inclui todas as extensões embutidas, ao estender a lista, você provavelmente vai querer manter as existentes habilitadas, por exemplo:

WEBLATE_ADDONS = (
    # Built-in addons
    "weblate.addons.gettext.GenerateMoAddon",
    "weblate.addons.gettext.UpdateLinguasAddon",
    "weblate.addons.gettext.UpdateConfigureAddon",
    "weblate.addons.gettext.MsgmergeAddon",
    "weblate.addons.gettext.GettextCustomizeAddon",
    "weblate.addons.gettext.GettextAuthorComments",
    "weblate.addons.cleanup.CleanupAddon",
    "weblate.addons.consistency.LangaugeConsistencyAddon",
    "weblate.addons.discovery.DiscoveryAddon",
    "weblate.addons.flags.SourceEditAddon",
    "weblate.addons.flags.TargetEditAddon",
    "weblate.addons.flags.SameEditAddon",
    "weblate.addons.flags.BulkEditAddon",
    "weblate.addons.generate.GenerateFileAddon",
    "weblate.addons.json.JSONCustomizeAddon",
    "weblate.addons.properties.PropertiesSortAddon",
    "weblate.addons.git.GitSquashAddon",
    "weblate.addons.removal.RemoveComments",
    "weblate.addons.removal.RemoveSuggestions",
    "weblate.addons.resx.ResxUpdateAddon",
    "weblate.addons.autotranslate.AutoTranslateAddon",
    "weblate.addons.yaml.YAMLCustomizeAddon",
    "weblate.addons.cdn.CDNJSAddon",
    # Add-on you want to include
    "weblate.addons.example.ExampleAddon",
)

Nota

A remoção da extensão da lista não a desinstala dos componentes. Weblate vai travar nesse caso. Por favor, desinstale a extensão de todos os componentes antes de removê-la desta lista.

Ver também

Extensões, DEFAULT_ADDONS

WEBLATE_EXPORTERS

Novo na versão 4.2.

Lista de exportadores disponíveis que oferecem download de traduções ou glossários em vários formatos de arquivo.

WEBLATE_FORMATS

Novo na versão 3.0.

Lista de formatos de arquivo disponíveis para uso.

Nota

A lista padrão já tem os formatos comuns.

WEBLATE_GPG_IDENTITY

Novo na versão 3.1.

Identidade usada pelo Weblate para assinar os commits Git, por exemplo:

WEBLATE_GPG_IDENTITY = "Weblate <weblate@example.com>"

O chaveiro GPG do Weblate é pesquisado por uma chave correspondente (home/.gnupg em DATA_DIR). Se não for encontrado, uma chave é gerada. Consulte Assinando commits do Git com GnuPG para mais detalhes.

WEBSITE_REQUIRED

Define se Site do projeto deve ser especificado ao criar um projeto. Ativado por padrão, pois se adapta às configurações do servidor público.